SINTESE EM AÇÃO 04 - MORTO VIVO EM COMBATE

Escrito por Super User Ligado . Publicado em SINTESE em AÇÃO

PODCAST 27 7 2019 EP01S01



A expressão “morto em combate” tem sua origem no inglês, killed in action (KIA ou K.I.A.), e indica uma classificação de baixa, geralmente usada por militares, para descrever as mortes de homens de suas forças pelo exército inimigo.

O departamento de defesa dos Estados Unidos diz que os mortos em combate geralmente acontecem em ataques hostis. Os mortos em combate não são acidentes ou falhas acidentais. Acontecem em linhas de frente, combates navais, combates aéreos e em tropas de apoio.

Agora, o Brasil acaba de criar uma nova categoria: “mortos-vivos em combate”. Esses são os soldados da tropa de choque de Bolsonaro que, de repente, desapareceram do cenário da guerra política assim que foram pegos com a boca na botija.

Um deles é o Queiróz. Lembra-se dele? Pois é, tem muita gente que já se esqueceu. E é exatamente isso que o Bolsonaro quer que aconteça que Queiróz desapareça da memória dos brasileiros para que não possa prestar contas das denúncias que pesam sobre ele.

E, quais os expedientes que o presidente se utiliza para, como por hipnose, fazer o povo se esquecer de Queiróz? Através de factoides. E você sabe o que são factoides? Um factoide é uma declaração falsa, não verificada, ou fabricada, questionável ou espúria apresentada como fato, mas sem provas. O termo também pode ser utilizado para descrever um fato especialmente insignificante ou novo, na ausência de contexto muito relevante. O termo é definido como "um item de informação não confiável que é repetido tantas vezes que se torna aceito como fato".

Bolsonaro, ao soltar tantas asneiras por segundo, acaba confundindo a população. E, enquanto todos ficam discutindo as últimas besteiras ditas pelo presidente as maldades vão passando desapercebidas. As tolices ditas por Bolsonaro são verdadeiras cortinas de fumaça, e é preciso que todo mundo entenda que é uma estratégia política. É como se você estivesse assistindo a um show de mágica. Enquanto você olha para uma mão que o mágico mostra para a plateia, ele realiza o truque com a outra.

Enquanto a gente fica discutindo se devemos fazer cocô dia sim, dia não, a reforma da previdência vai caminhando a passos largos. Enquanto a sociedade discute a indicação do filho do presidente para embaixada do Brasil nos Estados Unidos a medida provisória da liberdade econômica vai arrasando de vez com a vida do trabalhador. Poderíamos, aqui, elencar centenas desses estratagemas usados pelo Bolsonaro. Só não vamos fazê-lo por falta de tempo e espaço, afinal, a lista é grande. Porém, acreditamos que esses dois pontos já servem como alerta: não prestem atenção no que o presidente diz, prestem atenção no que a sua equipe de governo faz. Nesse show de horror Bolsonaro é apenas um coadjuvante. Na retaguarda de Bolsonaro está um exército poderoso chamado “elite brasileira”.

Em tempo, Queiróz não foi morto em combate. Queiróz está muito vivo. Só precisamos saber onde ele está.